Thanksgiving, ação de graças

Sou grato neste Dia de Ação de Graças por muitas coisas nestes últimos 12 meses.
Sem dúvida, tenho imensamente mais a agradecer que a lastimar.

Fazer parte do maior Dia Mundial de Conscientização do Autismo da história do Brasil foi cansativo, mas muito gratificante. Os feitos da Revista Autismo e do nosso recém-batizadoaMAIS (um grupo de apoio a pais de autistas) foram fantásticos. Têm sido.

Ter tido a experiência de imersão com o estadunidense Eric Hamblen (descrita neste blog) foi transformador para minha família. E por este último fato, seremos eternamente gratos ao casal-amigo André & Marie, que inclusive foram nossos “intérpretes de luxo”.

Pronunciar-me no Senado Federal — e dizer o que os senadores não queriam escutar sobre autismo foi bom. Poder contribuir com os documentários (o da MTV e o do cineasta Marco Rodrigues) e o videoclipe sobre autismo, foi ótimo.

Os cursos e palestras foram ótimos, os eventos, os encontros, até os desencontros…

A caçula Samanta saindo da fralda, crescendo, falante, cheia de energia e cada vez mais espoleta!

Minha Célia dedicando-se tanto (e com tanto talento) aos nossos pequenos.

Mas, o salto que deu meu pequeno Giovani, não se compara a nenhuma dessas “gratidões” acima.

Família Paiva

Família Paiva

Ele está falando, compartilhando interesses (olhando nos olhos), chupando pirulito, pedindo o que quer dizendo frases completas como “Eu quero suco de morango!“, dizendo “não” ao que recusa, brincando com bonequinhos e “dinos”, passou a ser fã do Michey, do Ursinho Pooh, tomando suco de caixinha no canudinho… tanta coisa “nova” e agora está começando a se referir às pessoas pelo nome.

Essas coisas minúsculas que só pais de crianças especiais podem ver sua grandeza.

Mas peço licença para apenas ter lembrado tudo isso, pois agradecer mesmo, vou agradecer só um fato.

Obrigado meu Deus, porque meu filho pela primeira vez na vida me chamou de “PAPAI”.
E isto aconteceu semana passada!
Tem como descrever essa emoção?
Tem como mensurar quanto isso vale?
Só quem trilhou todo o caminho para chegar até aqui pode saber…

Meu mais sincero… OBRIGADO!

 

(publicado originalmente no blog Uma Voz para o Autismo)