Apple celebra Dia da Acessibilidade com 2 eventos para crianças com autismo

Nos dias 11 e 17/maio/2018, a Apple Brasil realizou eventos especialmente para crianças com autismo na sua loja de São Paulo, que fica no Morumbi Shopping, para celebrar o Dia Mundial da Conscientização da Acessibilidade. O primeiro evento desse tipo no país aconteceu há seis meses, em novembro de 2017.

As sessões — lideradas pelo grupo de funcionários voluntários da empresa, os “volunteer champions“ — foram aulas de edição de música digital e vídeo em iPad Pro, além de um pouco de desenho e jogo (afinal ninguém é de ferro!). Para música foi usado também o Skoog, um equipamento que emite som os ser pressionado, que as crianças adoraram. O instrutor que liderou a sessão foi o criativo Gabriel Basilio, que conquistou as crianças com sua infinita paciência e extrema dedicação. Ao contrário das experiências anteriores (com a loja fechada exclusivamente para as crianças com autismo), desta vez o evento aconteceu com a loja aberta, em horário normal.

Continue lendo “Apple celebra Dia da Acessibilidade com 2 eventos para crianças com autismo”

Filme ‘Tudo que Quero’ é sobre autista fã de Star Trek

Tudo Que Quero” é um longa protagonizado por uma personagem que tem autismo, Wendy (interpretada por Dakota Fanning), uma jovem que escreve histórias de fantasia no seu tempo livre e ama Star Trek. Quando ela descobre que há um concurso de roteiros sobre sua série preferida, começa a escrever uma obra de mais de 400 páginas com seus personagens favoritos (Kirk e Spock) e decide fazer de tudo para buscar seu sonho, até mesmo fugir de casa rumo a Los Angeles para conseguir participar do concurso. O filme, que tem o título original em inglês Please, Stand By, estreou nos cinemas no dia 26 de abril de 2018, mas — como é um filme independente — em poucas salas (eu assisti no Caixa Belas Artes, na Consolação, em SP). Continue lendo “Filme ‘Tudo que Quero’ é sobre autista fã de Star Trek”

Número de autistas nos EUA sobre para 1 a cada 59 crianças

Números divulgados pelo governo são referentes a 2014

Francisco Paiva Junior

O CDC (Centro de Controle de Doenças e Prevenção do governo dos EUA) divulgou dia 26/abril/2018 a atualização dos números de prevalência de autismo nos Estados Unidos: 1 para cada 59 crianças. O número anterior era de 1 para cada 68 (referentes aos anos de 2010 e 2012) — um aumento de 15%. O  órgão, porém, alerta para a variação desses números dentro do próprio país (números maiores foram encontrados onde os pesquisadores tinham acesso a mais registros escolares).

Os números continuam mostrando que a incidência em meninos é quatro vezes maior que em meninas e não varia de acordo com grupos étnicos, raciais ou socioeconômicos. Foram pesquisados 11 diferentes locais, com registros de hospitais e de escolas, considerando apenas crianças nascidas em 2006 — considera-se apenas criança com 8 anos de idade para se minimizar possíveis enganos de diagnóstico. Nos Estados Unidos crianças são diagnosticadas com autismo, em média, após os 4 anos de idade. No Brasil não temos números a respeito disso.

Continue lendo “Número de autistas nos EUA sobre para 1 a cada 59 crianças”

No dia Mundial do Autismo, ONU quer empoderar mulheres autistas

Cristo Redentor iluminado de azul

O tema de 2018 da ONU (Organização das Nações Unidas) para o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, próximo dia 2 de abril, será “Empoderando Mulheres e Meninas com Autismo” (“Empowering Women and Girls with Autism”, no original em inglês). A data é celebrada anualmente, em todo o mundo, iluminando grandes monumentos de azul. No Brasil, o mais famoso deles é o Cristo Redentor, que todo ano ilumina-se de azul para lembrar a data. Continue lendo “No dia Mundial do Autismo, ONU quer empoderar mulheres autistas”

Você é de direita ou esquerda?

Está muito chato se informar no Brasil. Ainda mais a respeito de política. Ok, para muitos o assunto sempre foi chato. Mas me refiro ao atual cenário, em que polarizou-se a opinião e (infelizmente) também a informação.

Está difícil ver algo com imparcialidade — tudo bem, alguns vão dizer que imparcialidade no jornalismo é um mito (ops!, não posso usar esta palavra), é uma fantasia, uma utopia; pois de alguma forma, ainda que mínima, privilegia-se esta ou aquela informação exibindo-a primeiro ou mais acima ou mais à direita (na cultura ocidental), enfim, sempre terá uma vantagem que tirará daquele texto, áudio, foto, ilustração ou vídeo a isenção total. Mas quando cito imparcialidade quero dizer com a mais rasa definição, de ao menos mostrar dois lados da história (normalmente não são apenas dois, eu sei!) e trazer todas as informações possíveis.

Continue lendo “Você é de direita ou esquerda?”